noivo fato gnr e noiva
Ana Afonso

Ana Afonso

Fotógrafa ANA.WeddingPhotography

Trash the dress: fazer ou não fazer?

Nas reuniões deparo-me muitas vezes com esta questão sobre a sessão trash the dress: fazer ou não fazer?

O trash the dress é muitas vezes visto como o bicho-papão das sessões. A ideia de sujar, rasgar, pintar ou manchar o vestido está erradamente enraízada. Esta ideia é passada pelo significado de -trash e pela plataforma preferida de todas as noivas: o Pinterest.

O trash the dress pode (e deve!) ser o oposto. Na minha perspetiva, esta sessão serve para ganhar tempo no dia do casamento. Ou seja: aproveitem a companhia dos vossos familiares e amigos, façam brindes, divirtam-se, dancem e façam todas as coreografias da equipa de animação que contrataram. As fotografias a dois podem ficar para depois.
Os convidados não vão sentir a vossa falta e a equipa de animação pode fazer o seu trabalho sem horários apertados.

Depois de todas as emoções vividas no dia do casamento, há tempo de sobra para fotografias românticas, criativas e originais. Na praia, na cidade, quiçá na lua de mel (!!), há uma panóplia de oportunidades para voltarem a vestir o vestido de noiva e de reviverem o dia do vosso casamento. Se procuram fotografias divertidas e fora da caixa, o esta sessão depois do casamento dá-vos essa oportunidade.

A questão fica no ar sobre o trash the dress: fazer ou não fazer? A decisão e a resposta está em casa casal. Na vontade de voltar ao dia C e na consciência de encerrar o ciclo da organização do casamento.

A Vanessa e o Rui casaram em Outubro e uns dias antes do fim de 2019 fizemos o trash the dress. Foi uma tarde bem passada que começou com uma pizza gigante cá em casa e terminou com uma gripe igualmente gigante. Mas foi tudo tão bom, valeu tudo muito a pena.

Vejam as fotografias da Vanessa e do Rui e façam a pergunta a vocês mesmas: fazer ou não fazer?

Share this post

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on pinterest